REVISTA BICICLETA - As Mecas do Mountain Biking Mundial
Baixe Gratuitamente a Edição Digital de Maio - Junho 2017 da Revista Bicicleta!
Pneus Kenda

O Portal
da Bicicleta

SHIMANO
Revista Bicicleta - Edição 77

Leia

Revista
Bicicleta



+bicicleta - Modalidades - Mountain Bike

As Mecas do Mountain Biking Mundial

Nos dias de hoje, a mais incrível experiência em cima de uma mountain bike tem a ver com o planejamento, o design e a construção de trilhas. Trilhas estas que foram completamente projetadas para a prática específica do MTB. Com uma metodologia de construção específica para as duas rodas, cada metro do rolê é calculadamente escavado no terreno natural para que o praticante tenha a mais prazerosa, divertida, empolgante e desafiante experiência em uma mountain bike.

Revista Bicicleta por Gabriel Sousa Wanderley
9.524 visualizações
14/10/2015
As Mecas do Mountain Biking Mundial
Diferente do que eu havia experienciado no Brasil, toda trilha em toda Meca do mountain biking na América do Norte foi pensada, planejada e construída com uma metodologia específica para as duas rodas
Foto: Gabriel Sousa Wanderley

Há cinco anos decidi que iria construir trilhas para a prática do MTB. Eu, sendo natural de Belo Horizonte, vi que um enorme número de pessoas estavam fissuradas pelo esporte. Viajando e competindo em provas pelo Brasil, vi que essa paixão pelas duas rodas tinha proporção nacional.

Acontece que, por mais que Minas Gerais seja famosa pelas suas montanhas e trilhas, notei que algo faltava… Vi que o sofrimento nos rolês com os amigos falava mais alto do que a diversão; que os lugares em que pedalava, por mais belos que fossem, tinham sido caminhos de fazendeiros, lugares feitos para transporte de mulas, singletracks feitos por vacas, estradas de terra, ou seja, um tipo de locomoção que não tinha em mente o rolê de mountain bike.

E quando via os vídeos gringos, percebi que havia algo diferente nas trilhas que estavam sendo percorridas nos EUA e Canadá. As trilhas percorriam a topografia natural do terreno, abraçavam o relevo, e ficava claro o quão divertido era o pedal que estavam fazendo. 

Durante seis meses pesquisei o que seriam as mais incríveis trilhas para mountain bike dos Estados Unidos. Websites, blogs, revistas e vídeos serviram como um norte para o que seria um divisor de águas em minha vida. 

Tranquei a faculdade de Engenharia Civil, pedi demissão do meu trabalho e fui conhecer o que seriam as mais famosas trilhas do país criador deste esporte. Assim, tive a oportunidade de viajar aos EUA e Canadá, conhecer e pedalar nos paraísos do mountain biking. 

Geralmente dormindo dentro de um carro ou acampando, rodei nas mais incríveis trilhas do Colorado, Utah, Arizona, Oregon, Wyoming, Califórnia, Columbia Britânica no Canadá e outros paraísos da bike. E acabei fazendo parte de equipes de construção de trilhas, como voluntário.

Todos os mais impressionantes rolês que dei haviam sido construídos com uma metodologia específica para a prática do mountain biking: o hoje famoso padrão IMBA (International Mountain Bicycling Association) de construção de trilhas.

Diferente do que eu havia experienciado no Brasil, toda trilha em toda Meca do mountain biking na América do Norte foi pensada, planejada e construída com uma metodologia específica para as duas rodas. Não é simplesmente abrir trilhas no mato para bike. Existem estudos e metodologias exclusivas para este tipo de construção.

Como estudante de engenharia civil, foi muito prazeroso descobrir que existiam estudo de solos, elevações mínimas e máximas permitidas dentro do tipo de solo específico, circunferências exatas para curvas e um complexo trabalho de design e construção que fazem o melhor rolê do mundo. 

São trilhas onde cada metro foi calculadamente planejado para a maior satisfação do usuário. E algo fantástico sobre estas trilhas é que, por causa desta metodologia construtiva, elas são sustentáveis. Ou seja, não causam erosão e têm um impacto ambiental mínimo. Por causa disto, estes sistemas são construídos em parques municipais e estaduais com verba pública, incentivo do governo.

Esta metodologia foi criada e padronizada pela IMBA, que hoje tem o maior programa de construção de trilhas do mundo e é a maior incentivadora desta prática hoje. Empresas como Specialized, Trek, Shimano, Fox, Sram, Subaru e diversas outras investem muito dinheiro na IMBA porque perceberam que a melhor maneira de fazer a indústria da bicicleta prosperar é disponibilizando lugares ideais para a sua prática… Ou seja, construir mais e mais trilhas perfeitas.

O que vivenciei lá não são os bike parks, que são construídos em montanhas onde normalmente estão situadas estações de esqui, e são voltados para a prática da modalidade downhill.

A maior febre em rolê de MTB hoje são os sistemas de trilhas. Tais sistemas englobam em um mesmo lugar trilhas que se interconectam e permitem que usuários em diferentes níveis de condicionamento se divirtam no mesmo complexo, mas não necessariamente nas mesmas trilhas.

Loops interligados permitem que o usuário escolha combinações de trilhas e sem voltar pela mesma trilha ele acaba voltando para o mesmo exato lugar onde começou o rolê. É genial, divertido e seguro! Por uma série de sincronias, após voltar ao Brasil e terminar minha graduação como Engenheiro Civil, acabei voltando aos EUA, para desta vez trabalhar para a maior construtora de trilhas do mundo, a Trail Solutions.

A Trail Solutions é um braço da IMBA, e tive a oportunidade de trabalhar com alguns dos maiores especialistas em trilhas do mundo. Em 11 projetos em sete diferentes estados norte-americanos, aprendi bastante sobre todo o processo para se construir uma Meca do MTB. Mas o mais impressionante que vi neste trabalho foi como estes sistemas de trilhas trazem benefícios para as suas comunidades. Benefícios de saúde, pois proporcionam acesso a exercício seguro a seus moradores. Benefícios econômicos, pois todo local onde este tipo de trilha é construído acaba atraindo milhares de usuários vindos dos mais diversos lugares, que acabam gastando dinheiro na economia local com restaurantes, estadia, gasolina, entretenimento etc. E benefícios sociais, pois estes sistemas se tornam um bem para a comunidade, que colhe os diversos frutos que daí vem.

Os sistemas de trilhas são extremamente baratos para serem construídos, se comparados a qualquer obra pública. E o retorno deste tipo de investimento é enorme… Para a saúde, para a economia e para as comunidades.

Se for para resumir tudo que vivi e aprendi, posso dizer que planejamento, design e construção com propósito específico para as duas rodas é o que fazem as maiores Mecas do mountain biking hoje.

Talvez em um futuro próximo possamos ver estas trilhas em nossas cidades no Brasil, em nossos parques estaduais e federais. O amor pelo MTB já está construído no Brasil, agora só falta construir as trilhas. 

Mais sobre o IMBA

A Mountain Bicycling Associação Internacional (IMBA) é uma associação educativa sem fins lucrativos. Sua missão é criar, melhorar e preservar grandes experiências de mountain bike.

Saiba mais:
www.imba.com
facebook.com/IMBAonFB
twitter.com/IMBA_US

Curtiu esse post?

Quer receber mais conteúdo sobre bicicleta e ciclismo em sua casa? Então clique aqui conheça nossas ofertas de assinatura.

Comentários Facebook
Comentários
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados