REVISTA BICICLETA - Cicloturismo Rodoviário Longo
Baixe Gratuitamente a Edição Digital de Maio - Junho 2017 da Revista Bicicleta!
Pneus Kenda

O Portal
da Bicicleta

SHIMANO
Revista Bicicleta - Edição 73

Leia

Revista
Bicicleta



+bicicleta - Cicloturismo - Expedição

Cicloturismo Rodoviário Longo

O que aprendi ao pedalar 630 Km entre SP e MS

Revista Bicicleta por Wilson Luís Zácari
6.023 visualizações
15/03/2016
Cicloturismo Rodoviário Longo
Foto: Wilson Luís Zácari

Pegar a bicicleta em busca de liberdade, aventura, belezas naturais, pessoas, locais e lugares. Foi assim que me tornei adepto ao cicloturismo rodoviário, que pratico há um ano. Ao todo, já percorri aproximadamente dois mil quilômetros praticando cicloturismo. Com esta experiência, gostaria de compartilhar algumas dicas para quem pretende realizar um cicloturismo rodoviário longo.

O mais importante é a logística, que começa por fazer um mapeamento do percurso para saber os locais de postos combustíveis, bases da Polícia Rodoviária, cidades próximas do seu local de destino, postos de atendimentos instalados pela rodovia, entre outras referências. Estipule a quantidade de quilômetros que pretende pedalar por dia, bem como a quantidade de horas e possíveis locais para descansar. Posteriormente, realize uma boa revisão dias antes do pedal. É importante também, antes de sair, deixar sempre uma pessoa ciente do local para onde você vai.

Grave uma boa playlist para motivar o seu pedal, com músicas de sua preferência (eu curti e indico Best Remixes 3 Mega – Dance Mix (2014/2015) e New Running Music 2015 Mix #18). Sugiro usar um MP3 para economizar bateria do celular. O celular acaba sendo utilizado como GPS, realizar e atender chamadas, e em alguns casos para tirar fotos. Não esqueça de levar um bom Power Bank para uma recarga rápida do celular.

Use algum aplicativo no formato Sports Tracker ou Strava. Eles dão localização exata e ainda proporcionam dados do seu pedal.

Nunca se esqueça da alimentação para reposição de energias. Banana, laranja, barra de cereal, gel energético, um bom Pro Carbo e muita, mas muita água. De preferência, tenha uma mochila de hidratação. Não esqueça de sempre portar os documentos pessoais, principalmente cartão de convênio médico, carteira de vacinação, fósforo (quando tiver que usar, vai saber a importância), papel higiênico, lanterna, saquinhos plásticos para impermeabilizar, canivete multiuso, peças de reserva como câmera de ar, remendo a frio e bomba de ar. Indico instalar uma fita antifurto nos pneus para torna-los mais resistentes e prevenir furos.

Com relação ao vestuário, é indicado ter bermuda ou calça térmica. A calça é altamente recomendável, assim como manguito ou camisa “segunda pele”, pois evita que a pele queime e protege contra picadas de bichos também. De qualquer forma, use e abuse do protetor solar facial, corporal e labial. Tenha óculos de qualidade, com no mínimo duas lentes, um bom capacete, luvas, um bom tênis que seja leve e confortável, e um bom alforje para acondicionar tudo de forma segura e correta.

Ao chegar na cidade de Três Lagoas, o Cabo PM Zácari foi agraciado pelo Sr. Walter Hulk, Secretário Municipal de Esportes, Cultura e Lazer, com uma medalha pelo exemplo de superação e, em demonstração de respeito mútuo, trocaram bandeiras. O secretário recebeu das mãos de Zácari a bandeira símbolo máximo do Grupo Pedal Pirajuí e a camisa da ação Pedal do Bem, e Zácari recebeu das mãos do secretário a bandeira da cidade de Três Lagoas, estreitando laços e solidificando a amizade entre as duas cidades.

Uma última dica muito importante é com relação ao calor. Ao contrário do que muitos podem pensar, a melhor condição climática para pedalar são em dias nublados, pela manhã ou início da tarde. Você cansa menos e o pedal rende muito mais. Evite pedalar à noite por questão de segurança. Caso resolva pedalar durante o dia todo e o sol esteja muito forte, cuidado para que sua água não acabe prematuramente ou que sua temperatura corporal não fique muito alta. Se isto acontecer, administre, diminua a velocidade e a quantidade de quilômetros pedalados. Ou seja, a cada 5 ou 10 km, dependendo da sua condição física, realize uma parada de 20 a 30 minutos debaixo de uma boa árvore que forneça uma boa sombra e bom vento. Retire os equipamentos, luva, óculos, capacete, meia, tênis, ficando apenas com a segunda pele e com a calça térmica. Retire do alforje uma manta, cubra o chão, deite, estique as pernas e os braços, controle a respiração até que ela volte ao normal e sua temperatura corporal seja restabelecida. Se tiver uma laranja, é a hora certa de fazer uso dela. Assim você vai conseguir pedalar até algum ponto de apoio e, se necessário, entre em alguma propriedade e peça para reabastecer seu estoque de água – e, é claro, aproveite para fazer novas amizades.

Na estrada, depois de planejada a logística e estando todo equipado, inicie seu cicloturismo sem pressa. Esqueça o relógio, compromissos e se desligue do mundo. É apenas você, a bicicleta e a natureza, sem estresse e ansiedade. Controle seu estado mental, aproveite para fazer sua autoanálise, converse consigo mesmo, despolua sua alma, cante, grite, não fique tão preocupado com que horas vai chegar e muito menos com a volta. O cicloturismo é para relaxar, esquecer o resto e lembrar apenas de você.

Curtiu esse post?

Quer receber mais conteúdo sobre bicicleta e ciclismo em sua casa? Então clique aqui conheça nossas ofertas de assinatura.

Comentários Facebook
Comentários
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Vídeos

 

 

Para fechar o banner, clique aqui ou tecle Esc.

Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados