REVISTA BICICLETA - Como evitar ser atropelado por carros
MPRO
Sapatilha Berm

O Portal
da Bicicleta

SHIMANO
Revista Bicicleta - Edição 87

Leia

Revista
Bicicleta



+bicicleta - Mobilidade - Segurança

Como evitar ser atropelado por carros

Veja algumas situações que geram acidentes de ciclistas no trânsito, e lições importantes de segurança que servem de estratégia para evitar que eles aconteçam.

Revista Bicicleta por Michael Bluejay
68.619 visualizações
13/08/2015
Como evitar ser atropelado por carros
Foto: Merida Divulgação

As lições a seguir vão além das recomendações normais de segurança para bicicletas, que costumam orientar sobre o uso do capacete e seguir as leis de trânsito. 

Considere isto por um momento: o uso do capacete não vai fazer absolutamente nada para impedi-lo de ser atropelado por um carro. Sim, eles podem salvar a sua vida se você se envolver em um acidente, mas o seu objetivo número um deve ser evitar o acidente. Infelizmente, muitos ciclistas são mortos por carros, mesmo que eles estejam usando capacetes. Ironicamente, se tivessem pedalando sem capacetes, mas seguissem os conselhos a seguir, talvez estivessem vivos hoje. Em outras palavras: não caia no mito de que o uso de um capacete é a primeira e última palavra em segurança de bicicleta. Prevenir é muito mais importante que remediar. 

O próximo conselho mais comum de segurança da bicicleta, depois de “usar o capacete”, é “seguir a lei”, o que não ajuda muito, pois é óbvio demais e as pessoas pensam que isso é tudo o que devem fazer. Aqui você tem um exemplo: a lei diz que o ciclista tem que trafegar nos bordos da pista. Mas ao fazer isso, você se torna menos visível para os motoristas que estão estacionados, e alguém pode abrir a porta à sua frente e causar um acidente; ou o motorista que vem atrás pode passar muito perto de você por pensar que não é necessário mudar de faixa para ultrapassá-lo. Nestes casos você está seguindo a lei, mas de uma forma que pode propiciar o início de um acidente.

Por isso, não vamos falar sobre a lei, mas em situações geradoras de acidentes, e como evitar ser atropelado nessas situações.

1. Cruzamento à direita

Esta é uma das formas mais comuns de colisão, ou como maior potencial de colisão. O carro está saindo de uma rua lateral, estacionamento ou garagem do lado direito. Observe que há dois tipos possíveis de colisão: você pode ser atropelado pelo carro, ou o carro cruzar à sua frente e você bater nele.

Como evitar esta colisão

1. Obtenha um farol: se você está andando à noite, você é obrigado a usar um farol dianteiro. Mesmo para passeios durante o dia, uma luz branca brilhante intermitente pode torná-lo mais visível para os motoristas que poderiam, de outra forma, não lhe ver no cruzamento. Há novos faróis de LED que possuem boa durabilidade, e luzes para serem usadas no capacete que são muito boas, pois você pode olhar diretamente para o motorista e ter certeza de que eles veem a luz.

2. Faça com que o vejam: se não conseguir fazer contato visual com o motorista, acene com o braço, ou utilize uma buzina. Se parecer que o motorista está prestes a sair sem vê-lo, grite alguma coisa, como “bike” ou simplesmente “hei”. Você pode se sentir um pouco deslocado ao acenar ou gritar, mas é melhor do que se sentir envergonhado por ter sido atingido. 

3. Vá devagar: especialmente à noite ou quando o carro tiver vidros escuros, reduza a velocidade o bastante para você ser capaz de parar completamente, se for necessário. Claro, é inconveniente, mas é melhor do que bater.

4. Ande mais à esquerda: observe que na imagem há duas linhas, A e B. Você provavelmente está acostumado a andar na linha A, muito próximo ao meio-fio, porque você tem medo de que lhe atinjam por trás. Mas se coloque no lugar do motorista. Quando ele estiver olhando para o tráfego da estrada, ele olhará mais para o meio da pista, buscando outros carros. Seu olhar não vai estar tão focado perto do meio-fio. Quanto mais à esquerda você estiver (linha B), mais aumenta a sua visibilidade com relação ao motorista. Há mais uma vantagem: se o motorista não vê-lo e começar a cruzar a estrada, talvez você seja capaz de ir ainda mais à esquerda ou acelerar até sair da rota de impacto. Este método já me salvou em três ocasiões em que o motorista conseguiu frear ao me ver; se eu estivesse mais à direita, eu teria batido no carro inevitavelmente.

Você pode se preocupar com o fato de se tornar mais vulnerável aos carros que vem de trás por estar mais à esquerda. Mas as estatísticas dizem que é mais provável um acidente em um cruzamento à frente, do que uma colisão de um carro atrás de você, no qual o motorista pode lhe ver claramente. Como ambas as posições têm risco, o ideal é variar sua posição na pista conforme as condições da pista. Em ruas rápidas, com poucos cruzamentos, posicione-se nos bordos, à direita, mas em ruas lentas com várias ruas transversais, você aumenta sua segurança ao se deslocar mais à esquerda. 

2. Portada

O motorista abre a porta à sua frente e você irá atingi-la em cheio se não conseguir parar a tempo. Este tipo de acidente é muito comum. 

Como evitar esta colisão.

Ande mais à esquerda: pedale o mais longe suficiente à esquerda de forma que você não bata em nenhuma porta se abrindo inesperadamente. Você pode ficar preocupado em pedalar sobre a faixa dos carros, fazendo com que a ultrapassagem deles seja dificultada, mas é mais provável você receber uma portada de um carro estacionado do que ser atingido por trás por um carro que pode vê-lo claramente.

3. Surpresa na faixa de pedestre

Você está andando na calçada, atravessa a rua na faixa de pedestres e um carro faz uma curva à direita e avança na sua direção. Os motoristas não esperam bicicletas sobre a faixa de pedestres, e é difícil para eles vê-lo nessa situação, pois estão com a atenção no tráfego dos carros. Por isso, é muito fácil acontecer um acidente nesta situação. 

Como evitar esta colisão:

1. Use um farol: como já foi dito antes, ter um farol, especialmente à noite, o torna muito mais visível.

2. Vá devagar: mantenha a velocidade o suficientemente baixa para, se necessário, ser capaz de frear a bicicleta completamente.

3. Não pedale sobre a calçada: cruzar a rua de uma calçada para outra é uma manobra arriscada. Se você fizer isso no lado esquerdo da rua, corre o risco de ser atropelado como na figura. Se fizer isso pela direita, corre o risco de ser atropelado pela traseira por um carro que tenha virado à direita. Você também pode ser atingido por carros saindo de estacionamentos, garagens etc. Além disso, você se torna uma ameaça para os pedestres. São acidentes difíceis de evitar, por isso, não pedale na calçada.

4. Na contramão

Você está andando na contramão, no lado esquerdo da rua. Um carro faz uma curva à direita de uma rua lateral, garagem ou estacionamento, direto para cima de você. Eles não te veem porque estão olhando para o tráfego apenas à sua esquerda; eles não tinham nenhuma razão para esperar que alguém esteja vindo na contramão.

Ainda pior, você poderia ser atingido por um carro na mesma estrada, de frente para você. Os motoristas neste caso tem menos tempo para reagir, porque eles estão se aproximando de você mais rápido do que o normal, já que você está indo em direção a eles, ao invés de se afastar deles.

Como evitar esta colisão:

Pedale sempre a favor do tráfego, na mesma direção. Pedalar na contramão pode parecer uma boa ideia porque você pode ver os carros que estão vindo e passando por você, mas não é e a seguir está o porquê:

1. Carros que saem de calçadas, estacionamentos e ruas transversais à frente ou à esquerda, estão olhando para o outro lado da rua, não estão esperando que algo venha na contramão. Eles não o veem e irão acelerar direto em cima de você.

2. Como você vai fazer uma curva à direita? No mínimo, vai ter que quebrar várias regras de trânsito e ferir a imagem que o movimento em prol da bicicleta tenta divulgar.

3. Os carros vão se aproximar de você a uma velocidade relativa maior, pois a sua velocidade será somada à velocidade do veículo. Por exemplo: se você estiver a 25 km/h e um carro se aproxima por trás a 60 km/h, então, a velocidade relativa é de 35 km/h. Mas se você estiver na contramão, a velocidade relativa será de 85 km/h, reduzindo o tempo que o motorista tem para reagir. 

5. Sinal vermelho

Você para à direita de um carro que está parado no farol vermelho. O motorista não o vê. Quando o sinal fica verde, você se move para a frente e o carro vira à direita, para cima de você. Este cenário é especialmente perigoso com veículos grandes, como ônibus e caminhões. 

Como evitar esta colisão:

Não pare em um ponto cego: ao invés de parar ao lado do carro, pare atrás do primeiro veículo, ocupando um lugar na faixa do tráfego. Isso faz com que você se torne visível por todos os lados. É impossível um carro atrás de você não o vê-lo, se você estiver na frente dele. Outra opção é parar no ponto A da figura, onde o primeiro motorista pode vê-lo, ou no ponto B, atrás do primeiro carro, de modo que o segundo motorista o veja claramente. Mas cuidado para não ficar ao lado do segundo carro e o motorista não o ver também. 

Se você escolheu o ponto A, atravesse rapidamente a rua assim que o sinal ficar verde. Não olhe para o motorista para ver se ele vai em frente ou vai entrar. Se você assumiu o ponto A é porque está ansioso para atravessar a rua assim que der, então, vá rapidamente, apenas tenha certeza que os carros da rua transversal já estão parados na luz vermelha.

Se você escolheu o ponto B, quando a luz ficar verde, deixe o carro da frente arrancar primeiro. Fique para trás, porque ele pode virar à direita a qualquer momento. Nunca ultrapasse um carro pela direita. Tente ficar à frente do carro atrás de você até você atravessar o cruzamento, pois senão ele pode tentar cortar a sua frente para virar à direita.

Tenha sempre bastante cuidado ao passar por carros parados à direita no farol vermelho, pois há o risco de uma porta se abrir para um passageiro sair do carro, aproveitando a paradinha, ou ser atropelado por um carro que inesperadamente decida aproveitar uma vaga de estacionamento no lado direito da rua.

6. Fechada (parte 1)

Um carro passa por você e depois tenta fazer uma curva à direita na sua frente ou à sua direita. Eles acham que você não está indo tão rápido, pois você está em uma bicicleta, e acham que dará tempo de ultrapassá-lo. Mesmo que você tiver que frear bruscamente, o motorista talvez sinta que não fez nada de errado. Este tipo de colisão é muito difícil de evitar, porque você só vai percebê-la quando estiver acontecendo, e não haverá espaço para escapar.

Como evitar esta colisão:

1. Não ande na calçada: ao sair da calçada para atravessar a rua você estará invisível aos motoristas.

2. Ande mais à esquerda: ocupar toda a pista faz com que seja mais difícil para os motoristas o ultrapassarem, e muito mais difícil de virarem à sua frente ou em cima de você. 

3. Use espelho retrovisor: ao se aproximar de um cruzamento, certifique-se de que algum carro não esteja se aproximando com a intenção de contornar à direita. Mas faça isso antes de chegar ao cruzamento, pois enquanto estiver atravessando a rua, você precisa prestar mais atenção ao que está à frente.

7. Fechada (parte 2)

Você está ultrapassando um carro mais lento ou mesmo uma bicicleta, à direita, quando inesperadamente ele faz uma curva à direita para chegar a um estacionamento ou entrar em uma rua, indo diretamente para cima de você.

Como evitar esta colisão:

1. Nunca ultrapasse pela direita: se um veículo à frente de você estiver indo muito devagar, diminua o ritmo e permaneça atrás dele, especialmente em um cruzamento. Provavelmente, ele aumentará a velocidade em algum momento. Se isso não acontecer, passe pela esquerda, quando for seguro fazê-lo. Ao passar, sinalize o seu movimento à esquerda antes de começar; vale também utilizar a buzina ou outra forma para garantir que o ocupante do veículo à frente o tenha visto.

2. Olhe pelo espelho retrovisor ao virar à direita: dessa forma, evita-se bater em ciclistas que violam a dica 1 e tentam ultrapassar pela direita. Certifique-se de que não há uma bicicleta vindo na sua direção. Mesmo que a culpa não seja sua quando outro ciclista tente passar à direita e bata em você, não vai doer menos em você quando ele lhe atingir.

8. Cruzamento à esquerda

Um carro vindo em sua direção faz uma curva à esquerda bem na sua frente, ou para cima de você. Este acidente é semelhante ao primeiro caso. 

Como evitar esta colisão 

1. Não pedale na calçada: quando você vem da calçada para cruzar a rua, você está fora da visão dos motoristas que estão virando.

2. Obtenha um farol: especialmente à noite, as luzes o deixam muito mais visível no trânsito.

3. Use roupas claras e com faixas refletivas, mesmo durante o dia. As bicicletas são pequenas e mais difíceis de serem notadas. 

4. Não ultrapasse pela direita.

5. Vá devagar: se não puder fazer um contato visual com o motorista, diminua o ritmo de maneira que você seja capaz de parar completamente se for preciso. É inconveniente, mas pode evitar um acidente.

9. Traseira (parte 1)

Você inocentemente se move um pouco à esquerda para contornar um carro estacionado ou algum outro obstáculo na estrada, e nesse momento um carro vem de trás para cima de você.

Como evitar esta colisão:

1. Nunca, jamais, se mova para a esquerda sem olhar para trás antes. Alguns motoristas ultrapassam os ciclistas sem respeitar a distância mínima de 1,5 metro, por isso, mesmo em movimentos mínimos para a esquerda podem colocá-lo na rota de colisão de um carro que vem de trás. Utilize o retrovisor para olhar para trás. Se for realmente necessário se virar para trás, cuide para manter a linha reta, olhando por cima dos ombros, pois a maioria dos ciclistas tendem a se mover para a esquerda ao olhar para trás, o que naturalmente pode ser desastroso.

2. Não fique andando em ziguezague, entrando e saindo da faixa de estacionamento, para desviar dos carros estacionados. Você pode ser tentado a andar na pista de estacionamento onde não há carros estacionados, voltando para a pista de tráfego onde há veículos estacionados. Mas isso coloca você em risco de ser colidido por trás. Pedale em uma linha reta e constante na faixa de rolagem. 

3. Sinalize: nunca se mova para a esquerda sem sinalizar. Basta apontar o braço esquerdo para o lado esquerdo. Antes, porém, verifique se algum carro não esteja se aproximando muito perto antes de colocar o braço para esquerda.

10. Traseira (parte 2)

Um carro vem sobre você por trás. Isto é o que muitos ciclistas mais temem, mas não é realmente muito comum, no entanto, é uma das colisões mais difíceis de evitar, já que você não tem contato visual constante com o tráfego que vem atrás. A probabilidade de acidente assim é maior à noite e em ruas de tráfego mais rápido e de iluminação pior. O melhor jeito de evitar isso é planejar os percursos por estradas largas ou com ciclovias, de preferência em estradas secundárias onde o tráfego seja mais lento.

Como evitar esta colisão:

1. Tenha uma luz traseira: se você está andando à noite, você precisa usar uma luz traseira vermelha intermitente. 

2. Use colete reflexivo ou triângulo de segurança: estar visível é imprescindível.

3. Escolha ruas largas: ruas em que caiba um carro e uma bicicleta lado a lado, em uma situação de emergência, podem permitir uma manobra e evitar a colisão.

4. Escolha ruas lentas: quanto mais lento um carro se locomove, mais tempo o motorista tem para vê-lo.

5. Use ruas secundárias nos finais de semana: o risco de pedalar na sexta ou sábado à noite é maior, pois há mais probabilidade de haver bêbados dirigindo, saindo de festas e bares. Nessas noites, utilize ruas secundárias, de bairro, e evite as vias arteriais.

6. Utilize um retrovisor: insisto neste item, pois depois que você começar a utilizar um espelho, vai se sentir inseguro sem ele e vai se perguntar como pode pedalar todo esse tempo sem ele.

7. Não abrace o meio-fio: este é um contrassenso, mas deixe um espaço entre você e o meio-fio. Isto lhe deixa mais visível e também lhe dá um espaço para se mover caso algum veículo esteja se aproximando sem diminuir a velocidade e sem espaço para fazer a ultrapassagem.

Comentários Facebook
Comentários
2 comentários.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Nildomar Valdir dos Reis

11/01/2016 às 12:05

Excelente este artigo, um anterior abordava mais tecnicamente as regras este traz um toque de experiência no que diz respeito a segurança. Inclusive estes artigos estão melhores que a Cartilha do Ciclista disponível no site de Detran, parabéns pelo conteúdo !!

Ivan Sinigaglia

21/10/2015 às 09:03

Muito bom esse artigo. O único detalhe é que carro não atropela bike, carro colide com bike, mas o conteúdo é ótimo.
Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados