REVISTA BICICLETA - Estamos nós fadados a sofrer?
Baixe Gratuitamente a Edição Digital de Maio - Junho 2017 da Revista Bicicleta!
Pneus Kenda

O Portal
da Bicicleta

SHIMANO
Revista Bicicleta - Edição 76

Leia

Revista
Bicicleta



+bicicleta - Ideias

Estamos nós fadados a sofrer?

Revista Bicicleta por Aline Carvalho
24.912 visualizações
13/10/2015
Estamos nós fadados a sofrer?
Foto: José Manuel Gelpi Díaz / Depositphotos e Franck Camhi / Depositphotos

Andando despretensiosamente pelo shopping onde fica a minha academia, dei de cara com uma cena que me trouxe a seguinte reflexão: estamos nós fadados a sofrer? A sentir dor? Este nós é um nós de “todos os seres humanos”.

A cena foi a seguinte, uma mulher de cerca de 50 anos caminhando com muita dificuldade e com semblante sôfrego, apoiada por um homem e uma mulher, ambos escorando-a enquanto ela caminhava. A mulher estava bem acima do peso, eu diria uns 20 a 30 kg.

O que fiquei pensando depois desta cena foi que espero não passar por esta situação e, caso venha a acontecer, que eu esteja física e mentalmente o mais bem preparada possível para encarar o rojão.

Pensei se o tipo de sofrimento não seria a escolha que temos, ou seja, de forma simplificada poderíamos escolher o “sofrimento” de:

1 - treinar e lidar com todas as questões que isso envolve, bem como lidar com o “sofrimento” de manter uma alimentação mais controlada, ou;

2 - lidar com todas as mazelas que uma vida sedentária e de orgias alimentares pode acarretar.

Será que uma vida de preguiça e de concessões, mantendo-se sedentário e com a alimentação caótica não seria apenas a postergação do sofrimento, desperdiçando a oportunidade de escolher sofrer pela saúde ao invés de sofrer pela doença?

Claro que existem as exceções para os dois lados, os que nunca se cuidaram e duram “pra sempre” e os que se cuidam e tem uma vida bem conturbada. Não há garantias, mas certamente aqueles que praticam esporte e cuidam da alimentação têm mais chances de explorar melhor a sua máquina.

Aquele seu amigo gordinho e sedentário adora dizer que o tio avô dele viveu até os 135 anos fumando e bebendo. Talvez, um dia, ele se interesse em se cuidar. Já aconteceu comigo inúmeras vezes, de sedentários convictos pedirem ajuda. Seja paciente.

Com esporte e alimentação como parte do nosso cuidado diário, podemos até não assegurar saúde eterna, mas certamente estamos “minimizando” sofrimentos futuros. Sofrendo pela saúde.

Que possamos influenciar o meio onde vivemos e fazer com que mais e mais pessoas cuidem delas mesmas, por uma vida sem sofrimento pela doença.

Será que é essa a mensagem do Brou Bruto Drews com “sofrimento é para os vivos e estamos mais vivos do que nunca”? 

 

Curtiu esse post?

Quer receber mais conteúdo sobre bicicleta e ciclismo em sua casa? Então clique aqui conheça nossas ofertas de assinatura.

Comentários Facebook
Comentários
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados