REVISTA BICICLETA - Pedal de serra e mar... pelo interior de Santa Catarina
Baixe Gratuitamente a Edição Digital de Maio - Junho 2017 da Revista Bicicleta!
Pneus Kenda

O Portal
da Bicicleta

SHIMANO
Revista Bicicleta - Edição 78

Leia

Revista
Bicicleta



+bicicleta - Cicloturismo

Pedal de serra e mar... pelo interior de Santa Catarina

Revista Bicicleta por Roberto Furtado
4.971 visualizações
26/04/2015
Pedal de serra e mar... pelo interior de Santa Catarina
Foto: Roberto Furtado

A semana foi muito chuvosa, mas mesmo assim todos estavam confiantes sobre os três dias que passariam pedalando ou caminhando. Nos dias da aventura praticamente não choveu, mas os arroios e rios estavam cheios e as estradas enlameadas. A Ekonova Adventure promoveu um evento muito interessante, que misturou grupos de “andarilhos” e de ciclistas. Em alguns momentos, todos estavam juntos, em outros, cada grupo em sua proposta.

O grupo

Durante o café da manhã, jantar e alguns momentos que a parada era oportunidade em mesmo local e horário, o grupo formado por ciclistas e caminhantes era um só! Durante o dia de atividade, dois grupos distintos e separados por quilômetros de distância necessitam de dois guias, cada qual com sua união especial. Os integrantes são muito unidos e colaborativos, que é um fator essencial para que a atividade funcione com perfeito sincronismo. Fabiano Pellenz foi o guia da caminhada e Cristiane Mallmann foi a guia da pedalada. Toda a estrutura foi organizada com muita antecedência e em detalhes, fato que descreveu o passeio com perfeição. Nem mesmo algum imprevisto ficava sem boa solução... Eis a diferença entre um organização experiente e alguém que está começando. Saber como lidar com imprevistos é parte da estrada da maturidade de empresas, profissionais, inclusive dos guias. Uma verdade é que ambos os grupos eram também experientes. Alguns raros integrantes da proposta estavam participando pela primeira vez com a Ekonova, e ainda desta forma, não eram estes inexperientes. Todos possuíam alguma carga de experiência em sua prática de lazer, fosse pelos calçados ou pelas bicicletas. E aliás, para caminhar 10 a 20 km, tem que ter uma boa dose de experiência. Inclusive, muitos destes fizeram o famoso caminho de Santiago de Compostela, a exemplo de Tânia Hanauer, que percorreu aproximadamente 700 km em 35 dias. Tânia é frequentadora assídua dos projetos da Ekonova. Entre caminhantes e ciclistas, as experiências são variadas, normalmente são profundas de reflexão e encontram a mesma razão: a busca por respostas que levam a uma vida de melhor qualidade. 

Trajeto bom é trajeto ilustrado

Afirmar que um trajeto é bom ou ruim é algo muito pessoal e depende diretamente da escolha anterior do guia. “Fabiano têm escolhido ótimos trajetos”, dizia um dos participantes do passeio a pedal. Fosse um caminhante ou um ciclista, todos mostraram muita satisfação, mas o momento perfeito de ver o esforço recompensado era aquele, como da Pedra do Índio, no alto de uma montanha que permitia a visualização do vale e um cenário incrível. Muitos repetiram a frase, “este local valeu todo o esforço para chegar até aqui”. Muitos dos trechos foram de longas caminhadas, mas havia sempre um prêmio maior, a vista para algo bonito que não vemos na cidade grande. Aquelas foram cenas que ficam na memória, a gente não esquece... Guarda para uma oportunidade futura e cria uma espécie de comparação entre uma oportunidade e outra. Aliás, muitas pessoas têm mudado de vida justamente por isto. Não dá para ficar longe de algo belo, muitas vezes, menos é mais! A vida capitalista pode ter um ponto de equilíbrio, onde de vez em quando é preciso viver o que é bom, esta oportunidade de refletir, de ver horizontes belos e restauradores. Trajeto bom é um trajeto com belos cenários, disto ninguém duvida. E caminhar ou pedalar com altimetria que varia tanto é um belo exercício para as pernas e para o coração. Quem caminha, cansa! No entanto, com frequência da atividade física, torna-se mais forte, apto e feliz! O cansaço faz o fim do dia, mas o dia seguinte pede mais. É um vício saudável que se for alimentado, desenha as pernas e coração forte, e acima de tudo, cabeça equilibrada, que é algo que muitos abordavam em conversas mais longas. Sempre se chegava a este nível de entendimento, é bom para o corpo e para a mente! 

A base era sempre em Gravatal - SC, do Hotel Castelo para os caminhos especiais que nos esperavam. No primeiro dia, do centro da cidade de Gravatal até a Pedra do Índio foram 19 km e 780 m de elevação acumulada (EA). No segundo trajeto, de Gravatal até Vargem do Cedro, a distância foi de 53 km e 1.460 m de EA.  E a terceira etapa foi de Gravatal a Imaruí, onde percorremos o maior trajeto, com 62 km e 1.260 m de EA. Todos curtiram muito, comentavam sobre o trajeto, mas um dos locais mais comentados foi a Pedra do Índio e a cascata do Rio das Capivaras. Foram pontos estratégicos destes trajetos que compensavam o calor! Sem dúvidas, pontos que se transformaram em excelentes lembranças para cada um.

Bom descanso e boa gastronomia

Não há nada melhor... Depois de um dia de atividade física intensa, um bom banho, refeição e descanso. A roda de conversas no saguão do hotel ou no restaurante promovia a amizade e fortalecia vínculos. “Ei, vamos tomar uma cervejinha?”, de fato, não há nada melhor que uma boa conversa e uma cervejinha depois de um dia de forte calor. A gastronomia da região é típica, tem influências em especial da colonização alemã, também portuguesa. O café colonial é bem diferente, farto e saboroso. Isso resume muito bem uma das oportunidades de refeição, como a que fizemos no café colonial Fluss Haus. Todo este entorno da atividade, principalmente após o dia de atividade física, se transforma em um conjunto completo. 

Ekonova 

A Ekonova promove entretenimento, turismo e aventura ligados à natureza. Os passeios, provas e trilhas são organizados e administrados por guias conhecedores das necessidades de segurança e diversão. Estas duas questões andam juntas e Fabiano se mostrou mais de uma vez preocupado com esta segurança de grupo. Algumas questões, como uma ponte caída pelas fortes chuvas, exigiriam decisões que somente um guia confiável poderia assumir. Enquanto alguém cogitava, “mas dá para passar com água do rio correndo pelo corpo”, Fabiano encontrou alternativa de caminho seguro para evitar o risco. O conjunto e desfeche de um dia de diversão dependem totalmente de um guia. De outra forma, não há como garantir a segurança e, por estas e outras que a Ekonova se tornou uma referência e cobiçada opção de lazer por ciclistas. E a garantia se evidencia pelos frequentadores assíduos. Repetir é sinal de satisfação! 

Saiba mais: facebook.com/EkonovaAdventure

Curtiu esse post?

Quer receber mais conteúdo sobre bicicleta e ciclismo em sua casa? Então clique aqui conheça nossas ofertas de assinatura.

Comentários Facebook
Comentários
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados