REVISTA BICICLETA - Tweed Ride - O passeio de bicicleta mais bonito do mundo
Baixe Gratuitamente a Edição Digital de Janeiro / Fevereiro 2017 da Revista Bicicleta!
Pneus Kenda

O Portal
da Bicicleta

SHIMANO
Revista Bicicleta - Edição 70

Assine

Revista Física
Revista Virtual



+bicicleta - Cycle Chic

Tweed Ride - O passeio de bicicleta mais bonito do mundo

Uma cena dos anos 1940 ou 1950 se repete no Tweed Ride: damas e cavalheiros passeando elegantemente vestidos com seus “trajes de domingo”. Ah, e de bicicletas!

Revista Bicicleta por Anderson Ricardo Schörner / Colaboração: Gil Sotero
6.463 visualizações
26/06/2015
Tweed Ride - O passeio de bicicleta mais bonito do mundo
Foto: Nagy Melinda / Depositphotos

Ted Young-Ing está fazendo compras em uma lojinha em Londres quando de repente se depara com algumas calças “plus-four” (mais-quatro), uma espécie de short que se estende por mais quatro polegadas (cerca de 10 cm) abaixo do joelho. É uma roupa tipicamente britânica, comum entre jogadores de golf, um tipo de vestimenta que permite liberdade de movimento, e por ser curta, é uma vantagem para andar de bicicleta sem enroscar na corrente. Ted pensou: “vai ser divertido usar isso para pedalar pela cidade”. Então, pediu que alguns amigos se juntassem a ele. A ideia foi para as redes sociais e em 24 de janeiro de 2009, cerca de 250 pessoas apareceram para o pedal à moda antiga.

Assim nasceu o Tweed Ride, um passeio urbano e com estilo, onde as pessoas se reúnem de bicicleta e vão até algum lugar tomar um chá ou fazer um piquenique. É uma forma de reviver o passado, com damas e cavalheiros elegantemente vestidos, suas bolsas, bonés ou boinas, suspensórios, acessórios cool, bigodes e cabelos estilosos. Todo o tipo de bicicleta é permitido, mas o uso de uma old school é incentivado. De qualquer forma, parece uma cena de outra época, acontecendo bem diante dos olhos de transeuntes espectadores encantados, que quase não acreditam no que estão vendo. É, certamente, o passeio de bicicleta mais bonito do mundo: o cenário urbano tomado por um pelotão de ciclistas vestidos com seus “trajes de domingo”, tal qual antigamente, quando este era o visual corriqueiro nas ruas da cidade.

É verdade que grupos anteriores, entre eles o Tweed Cycling Club, já haviam realizado passeios com temática vintage, especialmente na Inglaterra, na década de 1990. Mas foi o Tweed Ride que vingou e se espalhou por outras cidades do mundo todo como inspiração.

© Willian Albino

Origem do nome

Tweed é um tecido de lã que se originou na Grã-Bretanha no século XVIII, leve, respirável e resistente às severas intempéries. Era o tecido que um inglês tradicionalmente utilizava para atividades ao ar livre, inclusive para pedalar, antes de surgir o vestuário padrão atual para ciclismo. Há registros de que mesmo durante a década de 2010, é comum que alguém tenha em uso uma peça de vestuário em tweed herdada de seus avós, guardada como uma relíquia de alta qualidade.

Como as calças “plus-four” que Ted encontrou eram de tweed, o passeio se chamou Tweed Run, ou Tweed Ride. Esses passeios naturalmente atraem pessoas que gostam de conversar sobre bicicleta, e também sobre roupas, moda e contracultura. O passeio Tweed Ride de Londres se tornou tão famoso que a organização precisou limitar a inscrição a 500 ciclistas, por razões de saúde e segurança. Em 2014, os bilhetes esgotaram em 90 segundos! Hoje, muitas cidades realizam os seus próprios passeios, seguindo a mesma filosofia.

© Willian Albino

Ativismo elegante

“Eu gostaria de pedalar, mas é tudo tão caro”. Essa é uma frase comum de se ouvir. Tecnologia, bons acessórios, roupas especificamente preparadas para pedalar: tudo isso traz vantagens enormes em termos de conforto e rendimento, mas há um preço a se pagar. Neste sentido, o Cycle Chic faz com que as pessoas se sintam à vontade para começar a pedalar, bastando apenas uma bicicleta e a roupa que rotineiramente já utiliza. 

A ideia básica do Tweed Ride é trazer para a atualidade algo que já foi real, e mostrar que não é necessário ter roupas especiais ou acessórios caríssimos para começar a andar de bicicleta na cidade. “Só porque algo é do passado, não significa que você deve descartá-lo. Fazer as coisas bem feitas é melhor do que a cultura do descartável. As coisas podem ter longevidade”, disse ao jornal Telegraph o criador do primeiro passeio Tweed Ride.

© Gil Sotero

No Brasil

O Tweed Ride também encontrou aceitação no Brasil, apesar de sua pegada meio invernal, mais adequada ao seu local de origem. Curitiba – PR teve um passeio Tweed Ride já em 2010, e São Paulo – SP em 2011.

Nessa oportunidade, queremos destacar a versão mineira. Um grupo de ciclistas belo-horizontinos fez uma edição Tweed Ride de verão, que aconteceu em 22 de fevereiro de 2015. Cerca de 50 pessoas deram uma voltinha na lagoa da Pampulha, com charme que remete aos velhos tempos e resgata o papel da bicicleta no cenário urbano.

© Gil Sotero

Os participantes se inspiraram em figurinos e acessórios das décadas de 1940 e 1950. A programação incluiu um piquenique e uma paradinha no Ciclo Bazar de Rua que acontecia no Mirante do Sabiá, reunindo admiradores e colecionadores de peças e bicicletas antigas. Pessoas de todas as idades participaram.

O principal objetivo dos ciclistas que participam do Tweed Ride BH é conscientizar a população do uso da bicicleta. “Uma das diversas intenções do Tweed Ride BH é mostrar que é possível usar a bicicleta como meio de transporte, desvinculando-a da prática esportiva”, declarou Renata Aila, pesquisadora da UFBA, criadora do Tweed Ride BH. A magrela também é uma forma estilosa de conhecer a cidade. “Bike é estilo! O passeio resgata a memória da cidade, o percurso do passeio sempre está associado à história da cidade. O Tweed mostra que você pode andar de bicicleta tendo um estilo mais elegante, rompendo com a imagem da bicicleta esportista”, observa Enne Maia, estudante de arquitetura, uma das organizadoras do Tweed em BH.

A escolha da Pampulha não foi por acaso, o local era o “point” mais badalado na cidade em verões de décadas passadas. “A região da Lagoa da Pampulha viveu o glamour de verões da década de 1950, é um ótimo lugar para pedalar e o conjunto arquitetônico é um dos mais bonitos da cidade”, declara Gil Sotero, jornalista e co-organizador do Tweed Ride BH.

© Gil Sotero

Em Belo Horizonte, a primeira edição foi realizada em 2013. A adesão ao passeio se dá pela principal característica do evento: não é preciso ser um atleta para participar. “Ao longo da história do Tweed Ride BH, percebe-se o carinho com que os ciclistas têm recebido o passeio, e vemos um número crescente de participantes a cada edição”, declara Renata Aila. O Tweed também resgata hábitos perdidos: “nossos avós usavam a bicicleta e todos se conheciam nos bairros. O Tweed resgata isso: a relação com a cidade, algo que foi perdido com a cultura do carro e shopping center´s. Nós, do Tweed, queremos parques, praças, museus, tudo que promova o uso da bicicleta. Bike é cultura e está renascendo em várias cidades pelo mundo”, completa Sotero.

Que tal se inspirar no Tweed Ride, no Cycle Chic, e começar a usar a bike em sua cidade, com as roupas que usualmente utiliza no cotidiano?  Além de contribuir para criar a cultura da bicicleta como veículo no dia a dia, aquela saidinha no domingo à tarde, mesmo que você esteja sozinho, será “o passeio de bicicleta mais bonito do mundo”. 

Curtiu esse post?

Quer receber mais conteúdo sobre bicicleta e ciclismo em sua casa? Então clique aqui conheça nossas ofertas de assinatura.

Comentários Facebook
Comentários
1 comentário.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

09/10/2015 às 08:36

Em Porto Alegre também teve Tweed Ride em 2015. Foi a primeira e não muito grande, mas as fotos estão aqui pra quem interessar: https://www.facebook.com/media/set/?set=a.853953331325063.1073741833.173283652725371&type=3 =)
Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Vídeos

 

 

Para fechar o banner, clique aqui ou tecle Esc.

Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados