REVISTA BICICLETA - Vila Velô - Ideias para um novo movimento
Baixe Gratuitamente a Edição Digital de Março / Abril 2017 da Revista Bicicleta!
Pneus Kenda

O Portal
da Bicicleta

SHIMANO
Revista Bicicleta - Edição 71

Assine

Revista Física
Revista Virtual



+bicicleta - Roteiros

Vila Velô - Ideias para um novo movimento

Por Roberto Furtado
4.274 visualizações
20/01/2017
Vila Velô - Ideias para um novo movimento
Foto: Roberto Furtado

A perspectiva de mais pessoas vivendo nas cidades cada vez se acentua. Apesar do modelo segregador, a cidade é fundamental e, para tanto, precisa ser pensada de forma a beneficiar o cidadão. Cabe, a cada um de nós uma intervenção, ainda que pontual, capaz de contribuir com questões que qualifiquem a cidade e a vida na cidade. Existe a necessidade de transformações sociais positivas, de resgate à convivência do indivíduo com sua vizinhança, da ocupação dos espaços públicos pelo cidadão, de melhora na qualidade de vida e na sustentabilidade e, principalmente, não somente a preocupação com o meio ambiente, mas ações concretas capazes de realmente contribuir com sua preservação.

Um feliz encontro

Duas ciclistas, Isabel Leite, Arquiteta e Urbanista, e Giuliana Cadorin, Analista de Políticas Públicas, retomaram o uso da bicicleta para seus deslocamentos diários em 2011 e aos poucos foram se inserindo no engajado universo ciclístico de Porto Alegre. Como é comum no ciclismo, em pouco tempo ganharam condicionamento e foram aumentando as distâncias - e, assim, as necessidades. Desde deslocamentos até pequenas viagens, as “gurias” sentiram a necessidade de entender mais sobre suas bicicletas, e foi aí que perceberam a carência de um espaço bacana e acolhedor, onde fossem compreendidas como mulheres consumidoras dentro do universo ciclístico. Uma dupla com características individuais muito autênticas, gerou ideias e uma identidade para o que hoje nós conhecemos em Porto Alegre como Vila Velô, um espaço dedicado à cultura da bicicleta e aos amantes do ciclismo. “Juntamos a vontade de empreender um negócio sustentável com nossas convicções de qualidade de vida relacionada à mobilidade urbana”, diz Giuliana Cadorin. E se o lugar é cheio de ideias e ideais, vamos a eles!

A bicicleta melhora o mundo

Em um cenário em que a mobilidade urbana é entendida como uma questão social que influencia diretamente a vida das pessoas, a bicicleta se revela uma alternativa eficiente e capaz de minimizar problemas em termos de deslocamento e saúde do indivíduo. É uma forma eficaz de contribuição para melhoria do espaço urbano e para a construção de uma cidade mais inclusiva e feliz. “Somos apaixonadas por bicicletas e acreditamos no seu potencial transformador e agregador, e nosso objetivo é fazer com que cada vez mais e mais pessoas experimentem o prazer de uma pedalada e insiram a bicicleta em suas rotinas, detalha Isabel Leite.

Partindo desta premissa, a Vila Velô coopera com iniciativas de ciclistas e de pessoas ligadas a projetos que buscam o bem coletivo, como é o caso da Campanha do Agasalho, do Pedal da Inclusão, iniciativa idealizada por um grupo de ativistas em parceria com a Associação de Cegos do Rio Grande do Sul (ACERGS), que prevê a compra de bicicletas tandem para deficientes visuais, ou como a campanha Faça uma Criança Feliz, para arrecadação e doação de bicicletas infantis neste natal.

Além de apoiar projetos sociais, a Vila Velô fomenta a cultura da bicicleta por meio de ciclos de palestras, encontros e debates sobre mobilidade urbana, cicloativismo, cicloturismo e ciclismo como esporte, todos gratuitos. Muitas iniciativas são educacionais e de interesse de um público espectador ativista e/ou que busca o entretenimento aprofundado. Cicloturistas, atletas e outros entusiastas da bicicleta contam suas experiências neste local acolhedor. Esta centralização do espaço com uma finalidade coletiva e social permite o surgimento de novas ideias e encoraja novos ciclistas.

De acordo com Giuliana, “ficamos muito felizes quando um grupo de amigos nos contou que decidiu planejar uma viagem de bicicleta a partir dos nossos encontros de cicloturismo. É muito legal poder compartilhar dessas experiências e promover esse tipo de estímulo na vida das pessoas”.

Os encontros são verdadeiras festas da bicicleta, com bebidas e lanches carinhosamente preparados pelas próprias gurias da Vila Velô. Giuliana e Isabel criaram um grupo de pedal que utiliza o espaço como ponto de encontro para pedalar pela cidade e fora dela. A ideia é fomentar, motivar e integrar novos ciclistas. E deu super certo!

Sustentabilidade e estilo de vida

Na importante tarefa de manutenção das bicicletas dos clientes foi adotado um sistema chamado Bio-Circle, que permite a limpeza de peças engraxadas com um impacto ambiental bem reduzido. Consiste na utilização de um desengraxante biodegradável, de tecnologia alemã, para que não fosse diretamente descartado na rede pública de esgoto algum material tóxico utilizado nas etapas de limpeza das bicicletas. De acordo com as gurias, este sistema está realmente se mostrando muito eficaz e ajuda na proteção e durabilidade das bicicletas. Desta forma, agradece o manancial hídrico de Porto Alegre, o Guaíba! As ideias começam por aí, mas não terminam... Não é preciso esperar as ações governamentais para fazermos o que é melhor para o meio ambiente, podemos pensar como estamos prejudicando nossos espaços e aos poucos criar soluções para pouparmos nossas ruas, nossos rios, nosso ar! E foi pensando nestes motivos que a Vila Velô foi concebida para ser exemplar em conceitos simples e eficazes, mas que são pouco praticados na cidade.

Da mesma forma, tanto o projeto quanto a execução da obra de reforma do imóvel, realizada pelas mãos das próprias empreendedoras, permearam princípios ecológico e socialmente corretos: a simplicidade e minimalismo das instalações, mobiliário e decoração foram produzidos quase na sua totalidade com materiais de sucata garimpados e reaproveitados, além do uso de parte do material da demolição, que também teve sua maioria destinado às vítimas de uma chuva de pedras no município de Canoas para reconstrução do interior de suas casas.

Os ideais de sustentabilidade não acabam na esfera ambiental: Giuliana e Isabel são defensoras do comércio justo e do consumo consciente. Por isso, grande parte dos produtos comercializados na Vila Velô têm origem artesanal ou de microempreendedores da bicicleta, de Porto Alegre e de diversos cantos do Brasil.

Além de poder oferecer um produto exclusivo, bonito e de qualidade inquestionável, trabalhar com micro e pequenos empreendedores é uma forma de fomentar a economia local e estimular a diversidade e pluralidade no mercado ciclístico.

Entre a seleção de produtos, está uma variedade de artigos escolhidos a dedo pelas duas empreendedoras. Há quem brinque que a Vila Velô é na verdade uma curadoria de artigos de bicicleta, sempre lançando novidades - como a Draisiana, que produz desde sapatos e acessórios especiais para pedalar até vestuário urbano para os ciclistas, e a Cuore Veste Bici e Sumaré, que trabalham também com acessórios e uniformes de ciclismo.

O local escolhido para acolher este espaço bacana foi o bairro Floresta, no coração da cidade. As gurias contam que escolheram o bairro pelo fato de ele oferecer a infraestrutura mais próxima que idealizam para uma cidade mais “amigável” e feliz, com ruas e calçadas largas e arborizadas, além das dezenas de edificações do patrimônio histórico tombado na região, causando/gerando um clima pitoresco que tem atraído artistas e empreendedores da cultura maker. Desse coletivo de artistas e empreendedores estão surgindo novos movimentos como o Distrito Criativo (Distrito C) e a Zona de Inovação Sustentável (ZISPOA), nos quais a Vila Velô se envolve com passeios ciclísticos e discute projetos de mobilidade urbana e sustentabilidade. 

Estes movimentos compreendem ações variadas, como estação de abastecimento de automóveis elétricos, hortas coletivas, sistemas de descartes eficientes e atividades que promovem integração e bons costumes para um convívio mais saudável de pessoas e empresas. Trata-se de um conceito que abrange esta área específica em Porto Alegre, bem próxima ao centro, mas que tem características bem próprias e um desenvolvimento acelerado. Tudo muito relacionado, muito amarrado, muito bicicleta! Já pensou como estas ações promovem o bem-estar de todos? A sugestão é simples... Faça o que você gostaria que fizessem, pois é assim que tudo começa, com ideias simples, com iniciativas viáveis, com a colaboração de todos!

Curtiu esse post?

Quer receber mais conteúdo sobre bicicleta e ciclismo em sua casa? Então clique aqui conheça nossas ofertas de assinatura.

Comentários Facebook
Comentários
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Vídeos

 

 

Para fechar o banner, clique aqui ou tecle Esc.

Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados