REVISTA BICICLETA - Casal que percorreu 1 mil km de bicicleta lança livro hoje em Bauru
MPRO
Lube Cera Premium

O Portal
da Bicicleta

SHIMANO
Revista Bicicleta - Edição 83

Leia

Revista
Bicicleta



Notícias

Casal que percorreu 1 mil km de bicicleta lança livro hoje em Bauru

Em meio a desafios extremos, Osmar e Nádia Chor fizeram percurso entre Alemanha, Áustria e Itália para celebrar os seus 30 anos de casados

Por JCNET
4.055 visualizações

Casal que percorreu 1 mil km de bicicleta lança livro hoje em Bauru
Osmar e Nádia Chor na Muralha Medieval, em Dinkelsbühl, na Alemanha; abaixo, o casal de cicilistas em Peiting, Alemanha
Foto: © Arquivo Pessoal

Um ligamento da mão rompido, ventos e chuvas que levaram a sensação térmica a zero grau, longas e pesadas subidas em vias pouco sinalizadas e, por vezes, perigosas da Europa. Nada foi capaz de fazer o jornalista Osmar Chor, 56 anos, e a corretora de imóveis Nádia Chor, 52 anos, desistirem de uma aventura que os desafiou ao extremo.

De bicicleta, eles percorreram durante 20 dias mais de 1 mil quilômetros entre a Alemanha, Áustria e Itália para celebrar 30 anos de casados. A experiência resultou no livro "Antes tarde do que mais tarde - A mudança de vida depois dos 50", que será lançado nesta terça-feira (31), às 19h, no Café 21 Center, em Bauru.

Com os filhos criados e a vida profissional estabelecida, o casal sentiu a necessidade de se lançar a um novo desafio para marcar a data comemorativa. Com algumas cicloviagens no currículo, eles decidiram percorrer sobre duas rodas a Via Claudia Augusta, estrada construída pelo Império Romano no ano 15 a.C., usada para transportar suprimentos para as tropas espalhadas pelo continente europeu.

Enquanto estudavam o roteiro, descobriram que o trajeto se conectava à Rota Romântica, onde estão localizados os mais belos castelos do sul da Alemanha. "Até então, só tínhamos feito viagens de, no máximo, 300 quilômetros. E não somos atletas. Começamos a pedalar já na casa do 50 anos", observa Osmar.

Preparação

Seis meses antes da viagem, realizada entre agosto e setembro de 2017, o casal intensificou os treinamentos nas pedaladas e na musculação. "Apesar de termos estudado o trajeto, não sabíamos se pegaríamos só asfalto ou se teria parte de terra, de trilha. Então, treinamos tudo", relembra Nádia, destacando que, em cada bicicleta, cada um carregaria mais de 20 quilos de bagagem.

Finalizado o período de preparação, finalmente voaram até a Alemanha e, já no primeiro dia, os contratempos tiveram início. Ainda em Würzburg, onde a rota começava, o casal descobriu que as bicicletas, que chegaram à Europa desmontadas, estavam com pneus furados.

"Isso atrasou o início da viagem em um dia. Quando finalmente saímos, não conseguíamos encontrar o caminho para sair da cidade. Aliás, nos perdemos algumas vezes, porque as vias são muito mal sinalizadas", conta Osmar.

Foto abaixo: Osmar Chor em Rothenburg ob der Tauber, na Alemanha

Riscos

Já na metade da rota, em Füssen, última cidade alemã do percurso, Nádia sofreu uma queda. Apesar de não ter resultado nem mesmo em alguns arranhões, o tombo lhe rendeu uma lesão no ligamento da mão esquerda, que deveria ficar imobilizada por pelo menos dez dias por recomendação médica.

"Isso significaria desistir da viagem, que era um sonho nosso. Então, com dois dias, eu tirei a tala e coloquei uma faixa e a luva. Mas eu estava sem força na mão, então, sempre que tinha de passar a marcha, precisava parar a bike e mudar com a mão direita", detalha.

Para piorar, depois de dias de calor intenso do verão europeu, enquanto passavam pelas fortes subidas dos Alpes, entre a Áustria e a Itália, o casal foi surpreendido pela virada do tempo. "De um dia para outro, a temperatura, que estava em 30 graus, caiu para 4. Como chovia e ventava, a sensação térmica chegava a zero grau", conta Nádia.

Uma nova parada estratégica foi necessária para comprar roupas apropriadas de inverno. Com as condições do tempo normalizadas dias depois, o trajeto italiano não foi menos difícil, conta Osmar. "Os dois últimos dias foram muito difíceis, porque pedalávamos em rodovias que não tinham acostamento. Foi um momento muito preocupante, com subidas difíceis, e já estávamos esgotados fisicamente. A primeira sensação, quando chegamos ao final da rota, em Veneza, foi de felicidade por ter sobrevivido", revela.

“Eu descobri, sem ciência nenhuma, que a gente tem 20% a mais de força quando está esgotado fisicamente. A gente tem, assim como as represas, um volume morto dentro da gente, que a gente só usa quando não tem mais o que fazer”, Osmar Chor.

“Quando acaba, a gente fica em estado de êxtase por conseguir fazer algo muito diferente e que poucas pessoas conseguem fazer. É uma história que vai ficar para os nossos netos, que poderão contar para os filhos deles”, Nádia Chor.

Mais uma aventura

Sem revelar detalhes, Nádia e Osmar Chor contam que farão uma nova cicloviagem no final deste ano. Desta vez, a proposta é aliar gastronomia, turismo e pedal, em um desafio que também será transformado em livro.

"Não será no Brasil. E vamos incluir receitas. É um projeto nosso que deverá ser dividido, na verdade, em três livros, porque serão três países diferentes em três anos", adianta Osmar.

Serviço

O livro "Antes tarde do que mais tarde - A mudança de vida depois dos 50" será lançado hoje, às 19h, no Café 21 Center, em Bauru, que fica na rua Gustavo Maciel, 21-50.

O livro físico está sendo vendido a R$ 29,90 e o e-book a R$ 24,90. Ambos podem ser adquiridos no site http://www.amazon.com.br.

Comentários Facebook
Comentários
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Para postar seu comentário faça seu login abaixo.

E-mail
Senha

 

Cadastre-se Aqui | Esqueceu a senha?

Edições On-lineCadastre-se Esqueceu a senha?
E-mail
Senha
Revista Bicicleta 2012 © Todos os Direitos Reservados